segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Ano Novo!


Não tenho por habito fazer "balanço" do ano dito velho...o que passou, passou!
Interessa sim o novo ano que aí vem, e não podia deixar de dar uma palavrinha...
Desejo que traga tudo de bom, saúde  dinheirinho, felicidade, amor...e essas tretas todas que em geral é o que toda a gente diz que deseja. Ah e muito sexo e paixão que é preciso!

Pessoalmente quero muito encontrar a minha tranquilidade. Quero acima de tudo que este ano, se possível logo no inicio, me elucide para umas duvidas que me andam a ocupar a cabeça e que, sendo certas me ajudariam bastante. Quero libertar-me de algumas "correntes" que não me deixam voar... Quero ser capaz de olhar em frente e acreditar que hoje, não amanha, HOJE vai ser o dia!

Um Bom Ano para vocês que me tem acompanhado. Um obrigada a quem, de uma maneira ou de outra me quer bem. Obrigada acima de tudo pela compreensão, pelo carinho.

Não se esqueçam de passar o ano a sorrir :) que aqui a Bruna também não se vai esquecer!




sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Não deixa de ser irónico



Algumas vezes penso nisto.
Durante cerca de 10 anos, (já casada e com dois filhos) todos os fins de semana(e por vezes durante a semana) saia para jantar com as minhas amigas, bares, discotecas, casinos... ate as 5, 6 e 7h da manha. Por vezes também saiamos de casa à 6ª feira à noite e regressava à 2ª de manha, íamos para o Geres, Figueira da Foz, Lisboa, Algarve, outras vezes íamos ate aqui ao lado a Espanha. Muita borga, comida, bebida, dança, ate fumávamos uns charritos (só para meter nojo). Obviamente que um ou outro homem se metia connosco  o que inicialmente ate achávamos piada, mas era só para nos divertirmos, não passava daquilo.
Saiamos sem destino marcado, onde parássemos arrendávamos uma casita de turismo rural ou simplesmente íamos para um hotel, onde nos obrigavam a pagar dois quartos embora ficássemos as cinco num só. Ate altas horas em conversas de gajas, jogos da verdade ou simplesmente abordávamos assuntos que nos despertavam curiosidade. Conhecemo-nos muito bem umas às outras, e duma coisa temos a certeza, o que ali vivemos ficou sempre entre nós. Hoje cada vez que nos encontramos e relembramos esses tempos, vemos olhares cúmplices de umas para as outras ;)

Isto para dizer que, nessa altura estaria casada, talvez à cerca de 15 anos e se contar mais 7 que namorei para o meu marido, nunca durante esse período eu sequer beijei outra pessoa. Nem tal coisa me passava pela cabeça.

Não procurei, aconteceu! 

Onde é que eu conheci o Gabriel? 
Em minha casa! 
Onde é que fizemos amor pela primeira vez? 
Em minha casa!
Irónico, não é?


quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

Pronta



Depois de analisar o meu interior e reflectir...levanto-me e sigo em frente. 
Pronta para enfrentar a vida!


segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Foi tudo tão breve


Porque esta tudo a voltar de novo!-.-

AGOSTO DE 1995 Mudança interior
" Num dia, que tudo indicava ser tão normal como qualquer outro, a minha avó sentiu-se mal e levámos-la ao hospital onde ficou em observações. Nessa noite ligaram-nos do hospital. 
Eu, com o meu bebe no colo...ainda consigo ouvir a minha irmã de seis anos a dizer-me:"madrinha a avó morreu" e eu com prontidão a ordenar-lhe "cala-te" e saí.
Não quis acreditar, provavelmente tinham-se enganado, não era a minha avó, não podia ser. Nem chorei, só pensei que no dia seguinte ia chegar ao hospital e ela ia estar a sorrir para mim. Mas não foi isso que aconteceu... Zanguei-me com ela por me ter deixado...depois zanguei-me com Deus por a ter levado, achei-O egoísta...não estava a ser justo comigo...deixei de falar com Deus, Ele não era meu amigo, tinha-me traído...
A minha avó era o meu pilar. Jurei a mim mesma que nunca iria sofrer por amar tanto uma pessoa. Estava desesperada. Não fazia sentido viver, afastei-me de tudo e de todos, dos amigos, da família, não queria falar com ninguém. Não podia dar-me o direito de ser feliz. Tornei-me uma pessoa distante e fria.

Um dia desmoronei...
Alguém me disse:" ...quanto ao teu estado de revolta pela vida, é aceitável, mas pensa que tens uma família, o teu marido, o teu bebe, os amigos que fazem parte da tua vida e que também são muito importantes para ti, não são? Compreendo que te sintas confusa e desorientada, o que estas a passar ultrapassa-me e torna por isso a minha forma de abordar o assunto, delicada. Não sei, sinceramente, se o que te vou dizer é o que deveria ser dito, mas se pensares que a tua avó pode estar num lugar tão perfeito, tão claro que iniba qualquer tipo de dor, sofrimento ou tristeza, onde não seja possível existir lágrimas, porque se deixou para trás o plano dos sentimentos. Um lugar onde as almas existem em paz, um lugar de reencontro, onde mais cedo ou mais tarde todas as almas estarão. Se pensares que a nossa passagem neste mundo é tão pequena comparada com a eternidade que vão viver as almas, mas que é necessária para evoluirmos, vais ver que o lugar da tua avó é esse, onde não existe nada capaz de a magoar. E depois, a tua avó vai estar sempre contigo, basta não a deixares morrer na tua memoria nem no teu coração..."

Levantei-me.Tinha que dar uma volta à minha vida. E estava decidida a fazer qualquer coisa, com confiança e determinação tinha que enfrentar com força os meus problemas interiores.
Saí."

Porque esta tudo a voltar de novo!-.-


sábado, 22 de dezembro de 2012

Feliz Natal





Especialmente para vocês -.- que me vão seguindo aqui, que aturam quase sempre o meu mau humor, que me dão o vosso carinho com as palavras que deixam e acima de tudo porque me compreendem sem me julgar!
Obrigada de coração
É bom saber-vos aqui 

Bjnhs ;)








Às vezes...engano-me!

00.27
G- "Estas em casa amor meu"
B- "Sim"
G- "Estas bem?"
B- "Mais ou menos...Nem por isso..."
G- "Tem calma linda...sabes que não te esqueço, não sabes?"
B- "Sinto-me em baixo, ansiosa, com medo..."
G- "Mas porque?"
B- "Por não te ver, estou esquisita  com a sensação que te vou perder, perder mesmo... estou com medo de cair outra vez :( "
G- "Não, não me vais perder, nem eu te quero perder"
B- "Sinto que sim..."
G- "Amor vais ser sempre a minha menina. Sabes bem que me tens sempre que quiseres"
B- "Não é bem assim amor...tu sabes"
G- "Tens, tens...às vezes os nossos horários é que andam desencontrados"
B- "-.- certo"
G- "Dorme bem amor, logo que possa vou ter contigo, tá bem?
B- "Ok, bjnhs"
G- "Bjnhs amor, gosto de ti, nunca te esqueças"


Ai Bruna, mas o que se passa nessa tua cabecinha, nesse teu coração? Que insegurança é essa agora?


sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Começa a doer


Não sei muito bem como definir o que sinto, mas sei que não estou muito bem. 
Ainda me sinto magoada com o Gabriel, não tão furiosa, mas magoada. Não temos falado, o que já era de prever. Sei que ele não o fará e eu sinceramente, neste momento também não me apetece contacta-lo nem estar com ele. Se me lembro dele? Claro que sim, todos os dias. Não, não quero esquece-lo, não o quero perder... mas agora, não quero vê-lo. Sei que terei que ser eu a ligar-lhe. Penso fazê-lo, mas ainda não.
E penso (se ele terá levado mesmo a serio a minha mensagem e queira dar por terminada a nossa relação) uiiii... dói.  Dói aqui dentro... que raiva, como pode doer no peito? Este aperto, este sentir-me perdida novamente. Tenho medo!

Ultimamente ando com medo!
Medo de voltar a cair, como aconteceu à uns anos atrás.  Tenho medo! Sei o que é acordar e ver tudo cinzento, sei o que é sentir-me bem no fundo do poço sem qualquer degrau para fugir daquele buraco! Sei o que é querer permanecer lá no fundo! 
Estou triste!...
FDS-Não quero isto outra vez! Não quero!!!

Preciso agir, fazer alguma coisa!


segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

E seguiu outra



G- "Estas melhor Bruna?"
B- "Agora mais calma! Não vou perguntar se estas bem, não vou pedir para falares comigo, não vou implorar por ti, não vou esperar que me envies qualquer mensagem, não vou desejar-te... Não te vou pedir desculpa!
Estás farto? Eu também estou farta que me trates assim...
Talvez um dia me entendas!
Talvez um dia entendas o quanto foste especial para mim!
Estou triste...
Sinto-me cair...
Tenho medo...
Preciso me levantar... preciso mesmo...
Não te vou precisar. Prometi que um dia te esquecia. Hoje é o dia.
Lamento tanto -.- "


E foi isso




Durante a semana:
B- "Gabriel, preciso de te ver, estou a bater mal"
G- "Bruna tem calma, mas esta tudo bem contigo?"
B- "Sim, mas já não te vejo à muito tempo"
G- "Eu também quero estar contigo amor"
...
...


Ontem, jantar de natal da CVP, presença assídua Afonso, que creio, por acaso, ficou sentado ao meu lado. Depois de jantarmos bem, dançarmos à brava, rirmos muito e bebermos um pouco além da conta... o Afonso sugere que vamos juntos para casa, uma vez que somos praticamente vizinhos. Pergunta se quero ir a sua casa beber um copo e conversar mais um pouco. A noite esta animada!
Confesso que o convite é tentador, mas assento o meu pensamento e recuso. Preciso descansar, disse-lhe eu.
É verdade que estava eufórica, mas de quem eu precisava mesmo era do Gabriel. Não pensei muito, enviei-lhe uma mensagem.
B- "Gabriel, como faço para conseguir estar contigo?"
G- "Eu quero muito estar contigo... mas estou um bocadinho farto de nos encontrarmos sempre com o tempo contado :( "
Fiquei furiosa com ele, sabe perfeitamente que não posso passar a noite toda com ele, grrrrr....
B- "Ok, certo, percebi a mensagem, então pronto, xau."
G- "Não sejas assim... é verdade amor"
B- "Acredito. Não há nada a fazer. Lamento. O que me estas a dizer é que não nos voltamos a ver, certo?"
G- "Achas mesmo Bruna?!"
B- "Acho? Tenho a certeza!"
G- "Sabes bem que te adoro"
B- "Pois...às vezes. Mas pronto, Gabriel esquece."
G- "Bruna..."

Acabou assim a nossa conversa. Fiquei mesmo furiosa, acho que agora quem começa a ficar farta disto tudo sou eu.
Não penso voltar a mandar-lhe mensagens, pelo menos enquanto estiver assim furiosa, e pelo que eu conheço do Gabriel, tão cedo ele também não me diz nada.


domingo, 16 de dezembro de 2012

The End



Não sei se dei por terminada a minha relação com o Gabriel.
Neste momento estou furiosa!!!


domingo, 2 de dezembro de 2012

Juro que tentei



Mas porquê que complicas Bruna?
Juro que tentei. Tentei abstrair-me da paixão, mas foi mais forte do que eu.
Apenas uma mensagem sem resposta imediata e lá começou a minha imaginação fértil a reproduzir vários filmes.
Será que se passa alguma coisa? Será que o Gabriel já me esqueceu? Será que ele não vai mais falar-me?
Será que vou ficar de novo sem vê-lo meses e meses? Será que ele não quer mais estar comigo? Será que me vai deixar assim, sem nada dizer?

Envio nova mensagem sem resposta. Neste momento já estou irritada com ele. Odeio este silencio.
Espero.
Passam umas horas. Um dia. Nada!

Final da tarde, o telemóvel toca. Gabriel! 
(Estou a trabalhar e sei que não devo atender) Que se lixe. Atendo!

Ouço a voz do Gabriel, tão doce, tão sensual...consigo senti-la quente! Adoro!

Explica-me que anda com problemas no emprego (provavelmente mais uma firma que fecha portas).

G-"Bruna, que se passa contigo?"
B-"Nada. Comigo esta tudo bem (agora).
G-"Não amor, não esta tudo bem. A tua voz esta-me a dizer que não.
B-"Não é nada. Isto é mimo..."
G-"Ai é?! Muito bem, então estas a precisar de carinho..."
B-"Agora não posso falar contigo, estou no trabalho. Depois falamos, ok?"
G-"Depois? Vou-te buscar no final, pode ser?"
B-"Não, hoje não. Depois ligo-te, xau, bjnhs"
G-"Ok, xau, um beijo amor. Porta-te bem"

Afinal não aconteceu nada daquilo que eu estava a imaginar :)
E aqui esta a Bruna de novo feliz :)

Juro que tentei, ficar algum tempo sem falar-lhe, mas pelos vistos é uma missão impossível.
Ele enlouquece-me.


Sei que um dia...vou me magoar, vai doer! (depois trato disso)




quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Coisas "minhas"


Às vezes penso se não seria melhor assim...


"Saí de casa com a roupa que tinha no corpo...
Os olhos lavados em lágrimas,
A voz tremula e o ego destruído.
Não olhei para trás. Para quê?!
Continuo a nada sentir na hora da despedida.
O adeus é já uma triste realidade na minha vida.
Quantos adeus, quantas pessoas e quantas promessas!!!
Voltei a falhar onde não queria,
Onde prometi jamais falhar!
No amor.
Esse sentimento, essa armadilha.
Esse sentimento que todos dizem sentir,
E que confesso,
Nunca me passou pela cabeça. Ou pelo coração.
Já tentei.
Juro que tenho tentado vezes sem conta.
Amar alguém desesperadamente.
Sentir frio e calor ao mesmo tempo,
Não conseguir respirar,
Não conseguir trabalhar,
Andar nas nuvens...
Tudo isto é completamente ridículo para mim!
Vejo os homens a babarem-se pelo meu corpo,
A rastejarem por um beijo,
Suplicarem um olhar mais sedutor,
E não me vejo fazer isso por ninguém!!!
Mas continuo a tentar.
Vou deitando o meu corpo
Sobre quantos leitos houverem no mundo,
Ate sentir o pulsar do meu coração.
Entretanto,
Vou batendo a umas portas
E tocando à campainha de outras..."

Desconheço o autor


Não foi escrito por mim, mas poderia muito bem ter sido.

sábado, 24 de novembro de 2012

Sou eu?


Ando tão tranquila, tão serena que me acho estranha.
Não tenho falado com o Gabriel (embora me lembre dele), ando a evitar o Afonso (depois de duas ou três conversas) depois do nosso encontro , não ando stressada, nem ansiosa, não espero coisa alguma, não tenho programado nada...
Estou assim, a viver serenamente o meu dia a dia.
Mas é estranho, parece que não me reconheço.
Gosto de ser uma Bruna agitada, ansiosa, irritada, stressada, gosto de correr na vida, gosto que tudo seja para agora, gosto mesmo de viver a vida depressa. A calma faz-me confusão.
E agora estou assim, calma ate demais :(

Já estou a ver, quando despertar desta pasmaceira, vou entrar em curto circuito :)

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Crio ilusão...caio na real!


Esperei-te ontem...não vieste.
Espero hoje, amanha, depois, e sempre!
Eu sei que crio demasiadas expectativas e depois...fico furiosa se as coisas não correm como eu espero.
Eu sei que espero demasiado de ti, espero sempre mais do que aquilo que me podes dar.
Este "jogo" que inicialmente o era, esta a ficar demasiado perigoso para mim. Deixei-me envolver demasiado, a paixão continua e de uma forma mais intensa.
Ontem esperei-te...e fiquei furiosa contigo. No meu telemóvel estava escrito " Gabriel, preciso de não te ver mais" e deixei a mensagem pendente, sei que estava com a cabeça quente de tanta raiva disto tudo, desta situação em que me envolvi.
Hoje reli a mensagem e pensei " ainda bem que não enviei".
Hoje espero-te...


quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Coisas "minhas"


"Rio-me. Choro. Fico um pouco histérica. Acalmo-me. Esqueço tudo o que alguma vez aconteceu. Penso em tudo aquilo que já aconteceu vezes sem conta. Observo-me ao espelho. Dispo a roupa e começo a dançar. Dispo a minha roupa toda e atiro-a para o chão. Ponho tudo de pernas para o ar. Deixo tudo onde esta para que outra pessoa arrume. Apercebo-me de que afinal de contas sou sempre eu que arrumo tudo. Canto muito bem. Canto mal. Como coisas que não devia comer. Dobro-me e observo os meus músculos. Deixo de me dobrar e reparo nas minhas cicatrizes. Gostaria de saber como é que ficaria se fosse loira. Gostaria de saber como é que ficaria se fosse ruiva. Gostaria de saber como é que ficaria se fosse velha. Pinto-me como nunca o faria se fosse para a rua. Experimento roupas que nunca vestiria em publico. Olho para os meus seios. Imagino-os maiores, mais pequenos, mais redondos, mais firmes, menos firmes, mais bonitos, mais feios. Aceito os meus seios tal como são. Escondo-me. Respondo às pessoas e ganho. Tenho fantasias em que a estrela sou eu. Estico a pele da minha cara e imagino-me sem rugas. Pergunto-me se deveria fazer uma operação plástica. Esqueço a operação plástica. Penso em algo muito mais barato. Grito comigo própria. Perdoo-me. Ensaio aquilo que irei dizer amanha. Aumento o volume do radio para não ouvir nada. Abro a torneira da agua para não ouvir o radio. Perco-me. Imagino-me numa ilha deserta. Mas com outras pessoas muito atraentes. Rezo. Procuro os meus defeitos. Aceito esses defeitos e procuro outros. Faço caretas ao espelho. Vejo como é que fico com ar de sedutora, de amuada, de zangada, de surpreendida, de chocada, de impressionada, absorta! Tiro a minha aliança olho para mim nua. Olho para mim e gosto do que vejo. EU!"

Desconheço o autor


Não foi escrito por mim, mas poderia muito bem ter sido!


sábado, 10 de novembro de 2012

Que se passa comigo?



Assim, triste sem motivo aparente.
Não sei o que se passa, ontem e hoje sinto-me triste, carente, sozinha, infeliz...
Esta noite tive um sonho horrível  acordei assustada. Sonhei que o meu marido se aproximava de mim para fazermos sexo e eu recusava. Depois ele, tentava tirar-me os meus filhos para leva-los com ele, as crianças choravam muito porque não queriam ir. No final disse ao meu marido que queria separar-me dele, divorciar-me, o meu marido chorava porque eu não o queria...eu, sentia-me em pânico e ao mesmo tempo aliviada...acordei. Mas muito assustada!
E andei o dia todo angustiada...não só pelo sonho, porque ontem também me sentia assim.
Estou confusa.
Não me apetece falar nem ver ninguém...
E queria muito sentir-me agora abraçada pelo Gabriel, com ele queria estar, só em silencio no calor dos seus braços, sentir a sua respiração no meu rosto. Ai como eu queria!
Estou carente!!! :´(


quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Tão intenso tu!



B-"Preciso falar contigo Gabriel, tens que me ajudar"
G-"Então, o que é amor?"
B-"Andam a tentar-me...e eu não sei se vou resistir"
G-"Quem?"
B-"Um amigo meu"
G-"Conheço?"
B-"Não"
G-"A que horas podes estar comigo?"
B-"Hoje não, amanha pode ser?"
G-"Claro que sim"

Hum...será que fiz bem em falar-lhe? Penso que sim, também para ele sentir que não me tem segura, como certa para ele.
Dia seguinte, à hora marcada no sitio do costume, lá estava o Gabriel. Louco aquele beijo tão intenso, sinto que quando me beija, é com vontade com tanto sentimento (arriscava a dizer, com amor) mas não vou dizer...e o abraço...ficava presa nele uma eternidade, tão em paz, tão segura, tão aconchegada ao seu peito... indescritível.

B-"Precisava tanto de estar contigo"
G-"Sei amor. E que é que se esta a passar contigo Bruna?"
B-"Estou carente, preciso de ti."
G-"...esse teu amigo...quem é?"
B-"Um amigo"
G-"...do trabalho?"
B-"Não"
G-"Então? Como o conheceste?"
B-" É voluntário como eu, é uma pessoa que eu adoro, como amigo, como irmão, é uma pessoa impecável."
G-"Divorciado?
B-"Solteiro, vive sozinho e é meu vizinho"
G-"Aconteceu?!"
Estava com uma expressão tão triste, que neste momento arrependi-me de ter falado.
Desviei o meu olhar do dele, pensei seriamente durante uns segundos, e respondi sem firmeza.
B-"Não, não aconteceu nada..."
G-"Não me mintas Bruna..."
Não tive coragem de lhe dizer que sim.
B-"Serio, não aconteceu nada, mas esta a ser tentador, não sei se vou resistir muito mais tempo...sabes que ele tem um espelho por cima da cama?"
Agora apeteceu-me deixa-lo na duvida.
G-"Foi ele que te disse?" Perguntou num tom de duvida.
B-"Foi, e eu vi."
G-"Viste como?!"
B-"Vi, ele mostrou-me"
G-"E dizes-me que não aconteceu nada? Nem uns amassos?"
B-"Eu não quis...porque somos muito amigos e eu não quero estragar essa amizade."
G-"Beijaram-se?..."
B-"Já te disse que não aconteceu nada, esquece isso."
G-"Não consigo, se acontecesse algo acho que preferia nem saber"
B-"Então Gabriel, sempre tivemos uma relação muito aberta, sempre fomos muito directos um com o outro, certo?"
Sinto os braços dele a envolverem-me em si.
G-"Bruna, o que é que eu te posso dizer? Não vou dizer que estou feliz com isso, não, não estou. Mas também não te posso impedir de fazeres o que te apetece...não te vou dizer para não o fazeres, não é?
B-"Se calhar ajudava..."
Apertou-me no seu peito.
G-"Amor, eu quero-te só para mim, quero que sejas só minha, és a minha menina...Percebes isso? Promete Bruna"
B-" Gabriel..." e beijei-o!

E sinto-o cada vez mais meu e sinto que cada vez lhe pertenço mais.
Somos tão perfeitos um para o outro.
E mais uma vez nos amamos com a intensidade de sempre.

G-"Bruna, isto é doentio, eu não te posso tocar..."
B-"Não Gabriel, isto é saudável!"
G-"Tens razão Bruna, é incrivelmente saudável!"

G-"Amor, eu prometo que nos vamos ver mais vezes, eu vou tentar de tudo...Prometes que nunca me deixas?"
B-"Prometo..."
G-"Bruna. Sabes que gosto muito de ti, não sabes?"
B-"Sei..."

G-"Amor, não deixes que nada aconteça...pensa em mim, em nós."
B-"Certo...vou tentar resistir!"


Bruna, não há mais nada a fazer!...




sexta-feira, 2 de novembro de 2012

A lista


Faça uma lista de grandes amigos
Quem você mais via à 10 anos atrás
Quantos você ainda vê todo o dia
Quantos você já não encontra mais
Faça uma lista dos sonhos que tinha
Quantos você desistiu de sonhar
Quantos amores jurados pra sempre
Quantos você conseguiu preservar
Onde você ainda se reconhece
Na foto passada ou no espelho de agora
Hoje é do jeito que achou que seria
Quantos amigos você jogou fora
Quantos mistérios que você sondava
Quantos você conseguiu entender
Quantos segredos que você guardava
Hoje são bobos ninguém quer saber
Quantas mentiras você condenava
Quantas você teve que cometer
Quantos defeitos sanados com o tempo
Eram o melhor que havia em você
Quantas canções que você não cantava
Hoje assobia pra sobreviver
Quantas pessoas que coce amava
Hoje acredita que amam você





quarta-feira, 31 de outubro de 2012

PRECISA-SE: Outro Mundo, por favor


Não quero este mundo!

Como é possível viver num mundo onde vemos a desgraça alheia acontecer e fecharmos os olhos? Numa altura em que só se ouve falar em crise, pobreza, solidariedade, onde se apela para que sejamos humanos, e vermos no nosso dia a dia carências...e ignorarmos? 


Hoje sinto-me revoltada com o meu pais, com o meu mundo, comigo provavelmente...

Falo de vários hipermercados no nosso pais, que possuem restaurantes onde se servem diariamente muitas refeições (muitas mesmo) onde não chegou a "crise".
Não sei muito bem como abordar este assunto, de tão revoltada que estou.
Não vou florir, porque não tem como florir...

Este é apenas um caso que soube, se passou ontem.
Como é possível uma pessoa ganhar o salário mínimo  ter um subsidio de alimentação de 1.50 euros, trabalhar 8h, e almoçar/jantar uma sopa?... Sim, é o que acontece aos funcionários de limpeza que(pertencentes a empresas externas) trabalham nesses grandes hipermercados/restaurantes.
Mas o insólito nem é isso... no final de servidas as refeições aos clientes, toneladas de comida que não é vendida, vai para o lixo, LIXO mesmo! Ontem uma senhora da limpeza foi surpreendida, pela gerente do hipermercado/restaurante, a comer duas batatas assadas que já estavam prontas a ir para o caixote do lixo...a senhora que trabalha 8h e só tinha almoçado/jantado uma sopa! 
Conclusão, para além do "sermão" a pobre senhora leva com um processo disciplinar em cima!!! Apenas porque não é permitido os funcionários comerem seja o que for, mesmo que a comida seja para deitar no lixo!

Boa! Este mundo é mesmo hipócrita!
E são essas "entidades" que apelam à solidariedade dos seus clientes!
Que dizer a isto? Estou sem palavras!!! Horrorizada!
Comida que vai para o LIXO e as pessoas ao nosso lado a "passar fome"?!

Preciso de outro Mundo, este não serve para mim :(

sábado, 27 de outubro de 2012

Foi o momento


Andamos durante uma semana com provocações e insinuações, desafiamo-nos e finalmente vimo-nos frente a frente, sem teclas, sem risos escondidos, sem desculpas.
Domingo à tarde, o convite para ver um filme chegou e sem hesitar, aceitei.
Nunca tinha ido a casa do A (Afonso), sabia que vivia muito perto de mim, mas o apartamento, não sabia qual era. Depois de uma breve explicação  conclui que conheço bem o prédio onde ele vive ( no prédio onde vive o meu cunhado, irmão do meu marido) AH BRUNA, NÃO FAZES POR MENOS!
Muito segura de mim, entrei no elevador a carreguei no botão que indicava o 10º andar, tive tempo suficiente para me ver ao espelho, fazer um sorriso e respirar fundo. Tentei pensar um pouco no que estava ali a fazer, mas disse a mim mesma que aquela não seria boa altura para pensar nisso. Estava ali e pronto, sorri novamente para a Bruna que me olhava no espelho.
O Afonso esperava-me com a porta aberta, talvez tão surpreso ( com a minha coragem) como eu. Comprimentamo-nos como é habitual, encaminhou-me para a sala...nossa, que sala fantástica.  Uns sofás super baixinhos muito confortáveis  com umas almofadas pelo chão, um plasma gigante ( só vi iguais nas grandes lojas de electrodomésticos )  não estou a exagerar, era mesmo grande, parecia que estávamos no cinema.  Sentia um cheiro agradável a incenso...o som ambiente saia das colunas do portátil que estava numa mesa rasteirinha ao chão. O Afonso serviu-me uma bebida, ele já tinha também um copo na mão...
Sim, o convite foi para ver um filme...ate ao momento em que ele se chega para bem junto de mim, põe os seus braços à minha volta e deita-me sobre o seu ombro. E ficamos assim a ver o filme e a conversarmos naturalmente.
Muito naturalmente também  perguntei-lhe " tens mesmo um espelho no tecto do quarto?"  ambos sorrimos acompanhados de uma boa gargalhada. Ele disse " tenho, queres ver?". E sem esperar pela minha resposta afirmativa, levantou-se, pegou-me na mão e levou-me. Nesse momento eu já tinha a certeza que tão cedo não iria sair daquela casa.
Encaminhou-me para dentro do quarto, onde estava uma cama enorme redonda ( nunca tinha visto nenhuma, só em filmes) e la estava o espelho grande, no tecto, acompanhado com outro numa parede do quarto... fantástico! Pediu-me que fechasse a porta, desceu as persianas da varanda, acendeu dois focos negros, mais duas lâmpadas florescentes que saiam dos cantos superiores do quarto...deslumbrante!
Chegou junto a mim, abraçou-me e sussurrou-me ao ouvido " só acontece se tu quiseres". Também não esperou que eu respondesse, acarinhou-me, retribui o abraço...e não precisei responder, deixamo-nos cair sobre a cama... ( não preciso contar mais nada, pois não?!)

A Bruna despiu-se de qualquer pensamento!


quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Mais/menos


Domingo, dia 21 sai de casa às 6 horas  ia estar de serviço na estrutura operacional de emergência onde o A também ia dar formação. Não chegamos a encontrar-nos porque eu fui destacada para o exterior e só regressei às 14 horas, o A tinha saído do serviço às 12.30.
Durante a tarde entrei na net e lá estava ele a convidar-me para ver um filme na sua casa (nunca tinha lá ido embora ele more bem pertinho de mim (somos vizinhos).
Sem pensar muito respondi que sim. Fui ver o filme. Agora, apetecia-me contar os pormenores, mas não vou fazê-lo, ainda não. 
Posso dizer que o espelho no tecto existe, a cama redonda existe, o foco preto existe e uma luz florescente também :)
Não tão sofisticado como a imagem mostra, mas anda lá perto! LINDO!!!

O que eu realmente gostaria? 
Entrar naquele quarto e deitar-me naquela cama com o Gabriel...seria um sonho!

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Quem és tu Bruna?



Não te reconheço, já não és aquela menina inocente, ingénua, pura e obediente.
Estas a conseguir soltar-te Bruna, estas a ser leal contigo, com os teus sentimentos e vontades.
Estou a gostar-te Bruna ;)


Falamos depois


sábado, 20 de outubro de 2012

Essência



Na instituição onde faço voluntariado, somos uma grande e valiosa família  É o local onde eu chego, descalço-me e sentada ponho os pés em cima do sofá  sinto-me em casa. Ajudamo-nos, protegemo-nos, cuidamos do bem estar e defendemo-nos uns aos outros. Somos como uma verdadeira família, como se fossemos todos irmãos, obviamente que os mais novos ouvem sempre os conselhos dos mais velhos e esses por sua vez gostam de aprender com os mais novos. É um porto de abrigo para as nossas magoas e um porto seguro também para as nossas alegrias. É o nosso cantinho!
Apesar de nos darmos todos bem uns com os outros, há sempre aqueles com quem temos mais afinidades, eu particularmente, adoro duas pessoas que considero como irmãos, confio neles a 100%, e eu não sou muito de confiar nos outros.
O S é mais novo do que eu 2 anos, é casado e tem duas filhas. É uma pessoas maravilhosa, com um coração enorme, é a bondade em pessoa.
O A é mais velho do que eu 4 anos, é solteiro, adora a natureza e tudo o que é livre. É a pessoa mais pura, simples e humilde que eu conheço.
Ambos são meus amigos, sei que posso contar com qualquer um deles para o que eu precisar, sei sem eles mo dizerem. Mas conheço-os muito bem para poder afirmar isso.
O A é formador e normalmente esta sempre no PC ate muito tarde que é quando faz os relatórios de trabalho. 
Eu como saio sempre do trabalho as 24h, também costume estar na net ate muito tarde.

Uma noite destas, eu e o A estávamos no facebook e começamos a conversar no chat. Até que ele se lamentou pelo facto de às vezes se sentir só  (ter uma companheira nunca foi uma prioridade para ele) e que só as casadas e comprometidas é que se aproximavam dele, e isso ele não quer, não seria capaz de ter qualquer envolvimento com uma pessoa que não fosse descomprometida. Segundo ele, moralmente não era mesmo capaz. Falamos, falamos, falamos...ate que já eram altas horas e a conversa já estava em provocações, tanto da minha parte como da parte dele. Brincadeira, claro. Confesso que eu provoquei primeiro (adoro provocar). Ele dizia que não era capaz de ter sexo com uma mulher casada, e eu garantia-lhe que o fazia mudar de ideias, que era capaz disso. A certa altura, ele já me convidava para ir a casa dele naquele momento ( somos praticamente vizinhos) moramos na mesma urbanização, ele continuava a dizer que não era capaz e eu a insistir que conseguia com que ele fizesse sexo...comigo!
Quase apostamos...:)
Bem, a conversa começou a aquecer, muito mesmo.
Confesso que ponderei em sair de casa as 5.45h mas achei que não seria capaz, nem de sair de casa nem de fazer sexo com ele...e neste momento ele só insistia para eu ir ter com ele a casa. já dizia que naquele momento dificilmente resistiria. Verdade que se eu tivesse saído naquele momento, nem pensava em nada, saltava-lhe era em cima, tal era o meu estado de excitação.
E as horas foram passando, ate que o telemóvel despertou, 7.00h, e passamos a noite na conversa, sós e a seco :(
Ficou a promessa de visitar a sua casa, o seu quarto com cama redonda, espelho no tecto e os focos pretos...

Agora...estou perplexa comigo mesma, isto não me esta a acontecer, as minhas hormonas andam todas descontroladas...que fazer com elas?
Sinceramente, acho que nem eu nem ele seriamos capazes, mas a verdade é que não deixei de pensar nisso o dia todo. Noite seguinte (ontem) a conversa continuou ate as 4h...Hoje igual, alias, acabei de falar com ele. Com tanta insistência, não sei se vou conseguir resistir.
Deus, eu ando a ficar maluca, mas o que é que se passa comigo? Alguém me segure!
O "pior" é que ele é mesmo bom! Fisicamente, mentalmente e espiritualmente. Embora ele não se ache nada de especial, a verdade é que a maioria das colegas (família lá do serviço) daria tudo para passar uma noite com ele(segundo os comentários delas).

Bem, domingo estou de serviço, ele também, em locais diferente, mas há sempre a possibilidade de nos encontrarmos, vai ser bonito...

Tranquila Bruna, acorda para a realidade e deixa-te de maluqueiras, tu não és capaz, ele é teu amigo, lembraste? Isso já é um impedimento.

 E claro que me lembrei do Gabriel montes de vezes...

Digam-me que eu ando tolinha da cabeça! Que tenho que ganhar juízo, sinceramente quanto mais "velha" fico pior é...nem sei que pensar de mim!


sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Ai as minhas hormonas!



É assim que eu me sinto por dentro.
Esta tudo confuso, as ideias, os pensamentos, os sentimentos...
As minhas hormonas estão todas alteradas. 
Há coisas que parece que só me acontecem a mim.
Vou pensar bem (ou não) no que fazer e depois vou (tentar) desabafar aqui no meu blog, como sempre faço (se conseguir).

E desta vez, não tem nada a ver com o Gabriel.
A Bruna nunca mais ganha juízo, isto com a idade parece que piora.

Vou ver se descanso que daqui a 3 horinhas já estou a levantar da cama :(



terça-feira, 16 de outubro de 2012

Porque fico louca


G- " Bruna, vamos sair?"
B- " Queres estar comigo hoje?"
G- " Claro que sim. Eu quero estar sempre...mas nem sempre dá."
B- " Certo, também precisamos falar"

E começam as pernas a tremer, os batimentos cardíacos a aumentar, as borboletas apoderam-se do meu estômago... (ai Bruna, não era para sentir tudo isso de novo).
Um duche rápido... os cremes de fugida... o perfume que eu adoro... vestido preto bem justo... casaco rosa, comprido e elegante... meias de liga... botins pretos com salto discreto... o cabelo vai mesmo solto, comprido com uns caracóis reverdes.

Dias antes preparei cuidadosamente esta conversa, nada vai ficar por dizer, decidi que vou ser muito, mas muito directa com ele, vou dizer que estou cansada desta situação, que estou cansada da maneira como ele por vezes me trata, estou cansada de esperar por ele... estou a ficar cansada dele!

Chegamos ao mesmo tempo, ele com um sorriso matreiro, eu mais seria. Paramos um em frente ao outro.
G- " Desculpa, amor"
Ele pegou-me no rosto e beijou-me com aquela intensidade que só ele sabe, eu rendi-me, desejosa daquele beijo. Senti as suas mãos a percorrer o meu corpo, os nossos corpos a colarem. Os batimentos no peito aumentavam...
G- " Bruna, tu pões-me louco...vamos entrar...antes que eu perca a cabeça..."

Eu sabia que tínhamos que conversar, mas naquele momento não me interessava ter qualquer conversa, nem disso me lembrei.

Sim, fizemos amor como nunca o tínhamos feito ( acho sempre isso, parece que uma nova vez supera sempre a ultima). Ele é tão meigo, tão carinhoso comigo, e ao mesmo tempo, tão selvagem. É um gatinho que se transforma em leão sempre que eu o provoco a isso. Adoro!
G- " Amor, promete que nunca me vais deixar.
Fiquei em silencio e pensei ( nunca é muito tempo, o que tínhamos falado, é que seria ate um dia, ate tudo acabar, embora neste momento, eu sinta um medo terrível de o perder).
G- " Promete..."
B- " Prometo"
G- " Mesmo?"
B- " Mesmo."
E envolveu-me naquele abraço bom, e senti-o em paz, senti-me em paz, senti-me feliz. Queria que o tempo parasse naquele instante, queria ficar assim por muito tempo naquele abraço quente.

G- " Eu gosto muito de ti Bruna...sabes isso, não sabes?"
Sorri. Desprendi-me do seu abraço.
B- " Sei que gostas de dar umas "quekas" comigo (apeteceu-me ser fria e dura)"
G- " Independentemente disso, gosto de ti, gosto de estar contigo. Claro que também gosto das "quekas", adoro fazer amor contigo, mas Bruna, eu gosto de ti, percebes? Não era suposto, mas gosto."
E beijou-me como que a tentar fazer-me perceber que gosta realmente de mim.

B- " Eu preciso de te ver mais vezes, não aguento essa ausência prolongada e fico possuída quando não falas comigo, tu sabes que não suporto isso."
G- " Bruna, eu já te expliquei, alias, tu sabes como é o meu trabalho, não tenho tempo para nada. Eu vejo as tuas mensagens e não posso responder de imediato, depois o tempo passa e... já sei que estas furiosa comigo. Mas tens razão amor meu, eu sou mesmo um estúpido para ti, eu sei que não mereces. Mas quero que saibas que gosto mesmo de ti, que me lembro sempre de ti, quero muito estar sempre contigo."

A conversa prolongou-se, falamos de nos, do meu casamento, do casamento dele, dos nossos filhos, de tudo o que nos envolve. Não é fácil!
É este o nosso Karma!   

Deu para perceber que estamos a gostar um do outro, mais do que seria previsto, mais do que queríamos, mais do que podíamos, mais do que devíamos...
Gosto tanto dele!




quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Pause...



G- " Não me esqueças amor meu!"
B- " É mesmo isso que queres Gabriel?"
G- " Claro que sim"
B- " Não é isso que parece, nem é isso que me fazes pensar"
G- " Eu sei que às vezes sou um estúpido para ti, mas não é intencional, tu sabes como eu sou, assim..."
B- " Pois eu sei...já devia estar habituada, não é?"
G- " Onde estas?
B- " Em casa"
G- " Posso ir aí agora?"
      (ele trabalha a 50 km da minha casa)
B- " Claro que não!"
G- " Então, logo falamos? Podemos sair?"
B- " Não Gabriel, sinceramente, é melhor não. Preciso pensar."
G- " Bruna, nunca duvides do que eu te digo, sabes que nunca te prometi nada que não pudesse cumprir, da mesma forma que tudo o que te digo é aquilo que sinto."
B- " Ok, percebi"
G- " Gosto de ti amor"


A Bruna está em estado: OFF


terça-feira, 9 de outubro de 2012

Foi hoje, sem pensar muito!



Quantas e quantas vezes eu já pensei em esquecer o Gabriel, quantas mensagens eu já escrevi (sem as enviar) a dizer-lhe para me esquecer que não nos podíamos voltar a encontrar, quantos encontros eu já marquei com ele com o intuito de lhe dizer tudo isto...mas depois pensava que seria bem pior o meu existir longe dele.

Eu sei que todos temos os nossos defeitos, mas quando gostamos de alguém parece que não existem ou são tão insignificantes que não faz qualquer sentido de serem considerados como tal. Mas ele tem defeitos e eu também os tenho...

Uma das coisas que eu não suporto é ser ignorada pelas pessoas que me são importantes, e ele por vezes ignora-me, não sei se consciente ou inconscientemente, mas faz-lo...e embora não suporte, tenho tentado não dar grande importância ao facto, mas há alturas em que fico possuída por não me responder às mensagens (eu sei que tem um dia super preenchido) mas porra, uma mensagem?!

Fico mesmo danada...ate que ele chega ao pé de mim, segura-me com a firmeza dos seus braços, beija-me com a ternura da sua boca quente, percorre o meu corpo com aquelas mãos sabias e diz-me aquelas palavras tão doces, e toma-me como se eu fosse totalmente sua, possui-me, enlouquece-me...

Certo, eu não duvido quando ele me diz que gosta de mim, que adora estar comigo, que vou ser sempre a menina dele, que nunca se esquece de mim... não duvido mesmo! 

Mas não suporto que me ignore! Já lhe disse isso!

Eu entendo que ele tem uma vida complicada, sempre teve, e admiro-o muito pela força e coragem que ele tem tido ao longo da vida, mas isso não desculpa as atitudes estúpidas que ele às vezes tem comigo.
E se às vezes eu ate nem me incomodo muito com isso, outras vezes em que estou mais sensível isso deixa-me completamente de rastos. É assim que me sinto agora!

E sem pensar muito, peguei no telemóvel...
"Desculpa, mas ás vezes consegues ser muito estúpido comigo. Vou deixar de me preocupar contigo a partir deste momento. Vai custar, mas vai passar. Lamento tanto!"
Enviei.
E desliguei o telemóvel.

Se me vou arrepender? Não sei, só sei que me sinto confusa, sinto uma mistura de sentimentos dentro de mim. Estou farta disto tudo!